sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Devagar.

É no toque suave dos seus dedos
Que me faço perdida
Entre pensamentos e escolhas
Entre o certo e o duvidoso
Com o leve farfalhar das folhas
Liberto-me das amarras
E dos pesares
Vou-me livre pelo desconhecido
E aventuro-me a desbravar meu caminho
Amparada por tuas mãos
Que me socorrem quando tropeço
Mas meu cabelo se enrosca por um motivo
Que desconheço
Quando percebo
Há bolhas em sua mão
Devagar, desvio-me delas
Saltito por entre os lados
Tropeço
Mas sigo.

5 comentários:

Higor disse...

eae sumida e a historia da kate ?
acabou kkkkk

Francorebel disse...

Lindo poema e que foto!!!

Sem comentários, lindo demais!!!


Abraços!!!

Lucas C. disse...

Perfeito. Me vi nas suas palavras.

Andréia Regina disse...

Pois bem, segue-se guiando o trem da vida. cai-se , desvia-se o que não parece-nos necessário. é. escolhas, escolhas , por vezes as temos por entre os dedos, por outras as fazemos sem saber...

Beijos, obrigada por seguir ;)

Thαtiαne Oliveirα. disse...

que lindo *-* ameei
tô seguindo :*

Postar um comentário

Comente! É a sua chance de dizer a respeito do que leu! =)